sábado, agosto 01, 1998

ÚLTIMA CEIA

o pessoal ainda goza com A Última Ceia. Não percebo. Porquê? Okay, estavam todos sentados do mesmo lado da mesa, sem mulheres. Isso é estranho? Isso é motivo para piadas? Parece-me que se eles estavam todos do mesmo lado é porque elas estariam do outro. Se calhar uma foi à casa de banho e as outras foram atrás porque... Pronto, porque é lá uma cena delas. Mesmo quando não conhecem! Uma mulher está no café com o namorado e precisa de ir à casa de banho. Pode, se for essa a sua vontade, pedir apoio a qualquer mulher que esteja presente no local.
Podiam até não estar mulheres no restaurante, podiam ser só eles. Porquê todos no mesmo lado, então? Se calhar por uma questão de espaço. Talvez o restaurante fosse pequeno e seis de um lado, mais seis do outro, mais um à ponta, depois não dava espaço para os empregados passarem. Além disso é mais chato de servir e levantar os pratos.
Ou talvez estivesse a haver um espectáculo. Não iam estar de costas para o palco.
Pessoal atrasado, por exemplo. Já se sabe que há sempre pessoal que se atrasa, que à última da hora afinal já não pode ir. O fotógrafo chega lá no momento em que 'tão só os treze e... Espera lá! Não haviam fotógrafos naquela época. Aquilo era tudo à base de pincel. Se estivessem 6+6+1 como eu disse há pouco, já viram o trabalho que ele não iria ter? Pintava um lado, depois outros, depois outro. Quando chegasse ao fim já Jesus estaria ressuscitado.
Acabei de estragar uma fonte de humor. E agora? Se começo a tornar lógicas estas coisas da Bíblia, que graça é que isso tem?
Treze à messa. Dá azar? A ele deu. Tanto deu que foi beijado por um chibo. Pronto, pronto. Se calhar não foi assim tão mau. O mesmo aconteceu ao Kurt Cobain. Só depois de morto é que se tornou mesmo mesmo um ícone. Se bem que não para comparar uma coisa com a outra; até porque a verdadeira força dos Nirvana para muitos fãs era o Dave Grohl que, de barba e cabelo compridos, parece-se mais com a imagem do Jesus que nós conhecemos.
O que é que isto vos interessa? É só uma curiosidade.

BEIJAR HOMEM NÃO É SINAL DE MÁFIA

Paulo Baptista, um dos arguidos do 'Caso Passerelle' disse uma vez que “beijar homem não é sinal de Máfia”.
Devo dizer que concordo com ele. De Máfia, não. Homossexualidade, talvez. Principalmente se for na boca. Se for na cara podem ser parentes ou lá do leste europeu. As meninas de lá também dão beijinhos. E não são tão caros quanto isso. Máfia é que não.
Mais coisas que não são sinal de Máfia:
Primeiro: falar com sotaque italiano mesmo que se seja de Trás-os-Montes e nunca se tenha ido além do norte do Douro. Não ter qualquer contacto com a cultura italiana, nem que seja através do Giovanotti.
Segundo: transportar pessoas com quem se teve arrufos no porta-bagagens. Ou melhor, transportar no porta-bagagens pessoas com quem se teve arrufos. Assim soa melhor. E mesmo, duas pessoas terem um arrufo no porta-bagagens de um carro não tem nada de anormal. Espaço pequeno, um dá um pontapé na canela do outro sem querer. É quanto baste.
Terceiro: fazer dinheiro à conta da prostituição (a nível de gestão financeira e não da prática em si) e de outras actividades ligadas à indústria do sexo.
E, por fim: ter uma conversinha com um devedor, enquanto dois arcaboiços o mantêm de joelhos. Dizer que ele foi um menino feio, referir-se a ele no diminutivo, abanando a cabeça com ar reprovador. Repetir o nome e suspirar, q.b. Parece quase uma receita.
Nada disto é sinal de Máfia.

PERGUNTA PERTINENTE #2

Os anões podem viajar no banco do pendura ou têm de ir no banco de trás na cadeirinha?

sexta-feira, julho 31, 1998

PERGUNTA PERTINENTE

Porque é que o anúncio dos comprimidos para a diarreia volta sempre na altura do anúncio do Ferrero Rocher?

segunda-feira, junho 29, 1998

O FILME MAIS CURTO DE SEMPRE

Cati, tu que não percebeste o teor profundo da minha anterior mensagem a ti dedicada, eis agora este vídeo (o primeiro da história do OVO REDONDO).




Ai de ti que te queixes agora!

domingo, junho 28, 1998

É SEMPRE BOM SABER ESTAS COISAS

Um dia de passeio num jardim público (privado não que dá multa), um coreto e...


... kebabs!


Esta semana, no coreto do costume.

sábado, junho 27, 1998

E DEPOIS SOU EU QUE SOU ISTO E AQUILO

Dizem-me assim: Joel, tens de ter mais cuidado com o que escreves. Joel, olha que se continuas a escrever essas coisas assim ainda arranjas sarilhos.

Então e isto?



Um simples folheto? Vejam melhor.




Além de não tentarem esconder, ainda por cima a promoção é aplicada sobre o preço base. Isto não se admite!






quarta-feira, junho 17, 1998

DEJA VÚ OU VU JADÊ?

O mesmo jornal, o mesmo dia... a mesma notícia? Deja vú ou vu jadê? Explicações possíveis para esta gaffe do JN: era o sexto aniversário do 11 de Setembro.

(eu tentei mas a porcaria do scanner não deu para mais; de qualquer modo, na imagem abaixo podem ler um resumo se quiserem)